Hórus

Bom dia/tarde/noite a todos!

Estava fazendo uma pesquisa acerca das “trindades” ao redor do mundo, e me deparei com uma personagem (quando cheguei ao Egito) que exerce sobre mim um fascínio desde a infância. Hórus. O deus com cabeça de falcão. Ainda hoje se vê, se compra (e se usa) em feiras esotéricas ou lojas especializadas a tradicional figura do “olho” (que tudo vê?) representadas em diversas peças de artesanato dos mais diferentes materiais.

Horus, Osiris e Isis

Horus, Osiris e Isis

Acompanhado de meu filho, em uma dessas exposições, meu filho perguntou quem foi Hórus. Expliquei a ele, e acho que me empolguei tanto que quando percebi, estava falando sozinho e ele admirando uma estátua de Anubis e soltando mais uma pergunta: “esse aqui não é aquele que aparece no filme “A múmia”?”.

Voltando ao assunto:

Hórus

deus_horus

Hórus

A lenda de sua concepção é um tanto estranha – como toda boa lenda o é – e deve ser analisada, para se obter o conhecimento que ela detém, sob os aspectos literal, esotérico e oculto (mas isso fica a cargo de cada um, hoje só há a informação).

Hórus foi concebido por Isis, sua mãe, quando Osíris, seu pai já estava morto. (Assassinado por Seth, seu tio, desmembrado e espalhado em catorze pedaços por todo o Egito, coube a Isis, a esposa devotada e que o amava acima de tudo, buscar seus despojos pelo reino, juntá-los. Conseguiu juntar quase todos (faltou apenas o pênis, devorado por peixes). Para suprir a falta deste, Isis criou um falo artificial com caules vegetais. Os irmãos Isis, Neftis e Anubis, então, realizam o que seria a primeira mumificação no Egito. Em seguida, transforma-se Isis em uma ave semelhante a uma águia de asa redonda, que voa e bate suas asas sobre o corpo de Osiris, criando um vórtice mágico que o ressucita o tempo suficiente para que este a engravidasse. Ainda sobre a forma de uma ave, ela se une sexualmente a Osiris).

imageisisblue16

Isis

osiris

Osiris

Isis, deu à luz Hórus e o criou em uma ilha escondida no Delta do Nilo, longe do olhar e conhecimento de Seth, enquanto Osiris, passou a reinar sobre os Mortos.

A propósito disso, o museu do Louvre, em Paris, detém em seu acervo, uma estela, datada de aproximadamente 1.400 a.c. cujo texto é um hino que ilustra esse acontecimento, traduzido a seguir:

Oh benevolente Ísis

que protegeu o seu irmão Osiris,

que procurou por ele incansavelmente,

que atravessou o país enlutada,

e nunca descansou antes de tê-lo encontrado.

Ela, que lhe proporcionou sombra com suas asas

e lhe deu ar com suas penas,

que se alegrou e levou o seu irmão para casa.

Ela, que reviveu o que, para o desesperançado, estava morto,

que recebeu a sua semente e concebeu um herdeiro,

e que o alimentou na solidão,

enquanto ninguém sabia quem era…

olho de horus

Hórus, ou Heru-sa-Aset, ou Her’ur, ou Hrw, ou Hr, ou Hor-Hekenu, ou Ra-Hoor-Khuit, era o deus dos céus e em suas mãos, portava as chaves da vida, da morte e da fertilidade. Como quase todo o panteão egípcio era representado com corpo humano e a cabeça de um animal, o falcão. Seus olhos representavam o sol (direito) e a lua(esquerdo). Como dito acima, Seth, seu tio, havia assassinado Osíris, seu pai, e em razão disso, e de outra sorte, também pelo comando do Egito, Horus o enfrentou e o matou, passando a reinar sobre todo o Egito.

set1

Seth

Como em nenhuma luta, os contendores saem ilesos, nessa batalha feroz, Hórus perde um de seus olhos (esquerdo), que é substituído por um amuleto (duas figuras abaixo) que não lhe concedia plena visão, e em razão disso foi adicionada a imagem de Uraeus (a serpente, que orna as coroas dos faraós), em sua cabeça.

uREUS

Uraeus

O Olho de Hórus, que era chamado equivocadamente de “Olho de Rá”, foi um dos amuletos mais usados no Egito em todas as épocas e simbolizava o poder Real e proteção. Chamado de Wedjat ou Udyat, simbolizava a união da visão humana e do falcão e em vida, era comum seu uso para afugentar o mau-olhado e, em morte, contra os infortúnios do além.

olho de hórus

olho de hórus

A titulo de curiosidade, é interessante notar também que:

  1. os egípcios usavam a figura do olho ferido de Hórus para explicar as fases da lua;

  2. Os egípcios também utilizavam o olho de Hórus, em fragmentos, como parte de seu sistema numérico. As partes do olho representavam frações. Cada parte com seu valor.

  3. O olho esquerdo representa a informação abstrata, é representado pela lua, e simboliza um lado feminino, com pensamentos e sentimentos, intuição, e a capacidade de enxergar um lado espiritual.

  4. O olho direito de Hórus representa a informação concreta, que é controlada pelo lado esquerdo do cérebro. Esse lado é responsável pelo entendimento de letras, palavras e números, e é mais voltado ao universo de um modo masculino.

Publicado em Esotérico, esoterismo | Marcado com , , | Deixe um comentário

O Dia da Terra e a Carta da Terra

Bom dia/tarde/noite a todos!

Depois de lerem o texto, vejam no final as cartilhas para download e links para acessar outras páginas e artigos interessantes.

Assisti anteontem (22.04 )com uma incredulidade imensa, a passagem de mais uma data comemorativa (?????) quase que totalmente despercebida pela população. Isso de uns tempos para cá, tem virado rotina, infelizmente. Fui educado nas décadas de 70/80, época que ressalvadas as críticas naturais daqueles que as vivenciaram, em razão da ditadura e da repressão, a educação ainda era tratada com relativa importância.

Hoje só tenho a lamentar pelo descaso com a nossa Educação. Não mais existe a comemoração de datas de importância nacional. No mês de abril vou citar os dias do índio (19)  o de Tiradentes (21) e o do descobrimento do Brasil (22). As escolas (particulares ou não) hoje em dia tratam o assunto, quando o fazem, de forma mecânica e superficial, quando não se regalam somente em razão do gozo do feriado atribuído ao penúltimo.

A data designada para o dia do hino nacional há muito caiu no esquecimento coletivo – talvez você não saiba, mas tal qual a bandeira, este nosso também símbolo nacional tem abribuído um dia para si, 13 de abril, pois executado pela primeira vez em 13/04/1831.

Não se pesquisa mais nas escolas acerca de qualquer outra data de importancia nacional. Estamos permitindo o aniquilamento de nossa história, e como já foi dito, um povo sem história, sem passado, é um povo sem futuro, um povo que não vê razão para o progresso. Explico. Se não se valora o que passou, como podemos pretender valorar o que virá pela frente. Estamos nos condenando a não ter futuro.

Datas magnas nacionais, hoje, somente as atribuídas às proclamações da Independência e da República. (e aí com tristeza, novamente constato que a grande maioria, se preocupa apenas se essas datas cairão em uma terça ou quinta-feiras para emendar um gostoso feriado prolongado).

Neste país, onde se dá mais atenção ao futebol, novelas, programas de auditório, jornalismo sensacionalista e tendencioso e à mais nova aquisição da cultura nacional, os incomparáveis “reality shows”,  que invadem diariamente a programação escrita, falada e televisada, impingida a todos garganta abaixo – poucas pessoas da mídia se importaram em divulgar, poucas pessoas dos governos se preocuparam em realizar atividades, e poucas pessoas se preocuparam em celebrar o dia da Terra. Poucos, escaparam, ao incremento da horda de jovens e não tão jovens ignorantes (e aqui me refiro ao uso amplo do vocábulo).

Mas o que vem a ser o dia da Terra?

Embora não seja reconhecido pela ONU, o Dia da Terra (Earth Day), é uma data internacional, comemorada em muitos países (inclusive o Brasil), e foi criado com o objetivo de chamar a atenção de toda a população mundial para que intensifiquem os cuidados ao meio ambiente, principalmente quanto à necessidade da preservaçao dos recursos naturais de nosso Planeta. Também visa ampliar a consciência do mundo sobre problemas quanto a destruição da biodiversidade, quanto aos desmatamentos e à contaminação do meio-ambiente, quanto ao uso não sustentável dos meios naturais e demais problemas que a curto, médio ou longo prazo possam ameaçar a vida em nosso planeta.

É uma data comemorativa que não é controlada, tampouco organizada por qualquer entidade de forma específica. É uma manifestação que pertence a toda a humanidade, não se pretendendo a reivindicações políticas, religiosas, ideológicas ou nacionais, podendo e devendo ser comemorada livremente ao redor do mundo e visa, acima de tudo, que nos tornemos cidadãos ambientalmente conscientes e responsáveis.

A data foi criada em nos Estados Unidos, por Gaylord Nelson, um senador e ativista ambiental, que foi o principal divulgador e promotor de seus objetivos. A primeira manifestação ocorreu no dia 22.04.1970, e dela participaram milhares de estudantes de escolas (dez mil primarias e secundárias), universidades (duas mil) e pessoas comuns de centenas de comunindades. A pressão gerada pelo ato foi tão grande que pode ser considerada, inclusive, como marco para que o governo americano criasse sua famosa Agência de Proteção Ambiental e editasse uma série de leis para proteção ao meio-ambiente.

Como consequência, em 1972, em Estocolmo (Suécia), foi realizada a primeira conferência internacional sobre meio ambiente com o intuito de conscientiza-los para a dimensão dos problemas ambientais, visando com isso a instituição de politicas para erradicação dos mesmos.

Com o tempo, isso levou a duas situações interligadas: a Agenda 21 elaborada na Conferência Rio 92 e, posteriormente, no início dos anos 2000 as Nações Unidas a desenvolver e finalizar, como iniciativa global da sociedade civil, um documento, resultado do diálogo de mais de uma década, em torno de valores compartilhados e objetivos comuns: A Carta da Terra, é um guia ético, justo, pacífico, sustentável, inclusivo e participativo, para a transição para um futuro sustentável, de cuja adesão participaram mais de 4.500 organismos governamentais e organizações nternacionais. Nela se encontram claros os objetivos de proteção ecológica, desenvolvimento econômico equitativo, erradicação da pobreza, respeito aos direitos, democracia e paz, voltados para o bem estar da família humana, da vida e das gerações vindouras

Se vocês tiveram paciência de ler até aqui, saibam que este é um chamado à ação, para que essa visão de esperança e de renovação de valores se consolide. A carta é breve, concisa e reflete valores universais e perduráveis para qualquer raça, cultura ou religião. Para isso devemos cumprir os preceitos básicos nela inseridos, quais sejam:

  • Respeitar e cuidar da comunidade de vida;
  • Preservar e fomentar a integridade ecológica;
  • Promover a Justiça social e econômica;
  • Implantar a real Democracia, não-violência e paz.

Como código de conduta, a meu ver pode ser considerada uma Declaração Universal dos Deveres do Homem, onde cada um deve realizar tarefas em âmbito global, regional e local. Lembremo-nos, nosso planeta é um organismo vivo, é a nossa casa e fonte de vida para toda vida animal – nós aí incluídos – e se conseguirmos cumprir ao menos os princípios básicos expostos acima, conseguiremos promover o bem-estar e dar um passo importante à evolução da humanidade como um todo.

Mas, de que forma podemos cumprir tal tarefa?

Primeiramente, observando e avaliando, buscando soluções para minorar os problemas como: contaminação do ar, água, solo, destruição de ecossistemas, de plantas, de animais, e evitar o esgotamento dos recursos não renováveis. Possíveis soluções seriam reciclar manufaturados, preservar e diminuir a utilização de recursos naturais, a diminuição – ou proibição – do uso e descarte de produtos quimicos nocivos, apoiar o fim da destruição de habitats como as florestas tropicais, manguezais e outros ecossistemas igualmente ameaçados…

Uma das poucas manifestações sobre o Dia da Terra foi feita pelo WWF (World Wide Fund for Nature), promoveu ontem, como parte da celebração do dia da Terra, uma série de mobilizações em 17 das 26 capitais brasileiras, e em grande número de grandes cidades do país, visando a conscientização de todos e inclusive da nossa Presidente (em seu caso o VETO), para a não aprovação do PLC 30/11, o novo Código Florestal Brasileiro a ser votado em 24.04.12. A aprovação como está, beneficia somente aos ruralistas, aos especuladores fundiários vindo a reforçar a cultura da impunidade e do desrespeito às leis, e traz imensos prejuízos à natureza fulminando nosso patrimônio cultural e desrespeitando o nosso País. Cliquem no link abaixo e vejam o texto completo no site.

http://360graus.terra.com.br/ecologia/default.asp?did=33326&action=news

Agora, voltando ao exemplo do senador americano que se utilizou de milhares de estudantes de escolas e universidades e voltando ao antes mencionado sobre a educação (ou ausência de…) nacional:

Quem sabe se com o incentivo e a participação NOSSA e de governos e/ou entidades que visam a propagação do desenvolvimento sustentável, não poderíamos ajudar a promover em creches, escolas, sociedades de amigos de bairro – enfim para qualquer grupo de pessoas que tenham disponibilidade em se reunir – atividades educativas, exibição de fotos, de vídeos, músicas, exposição sobre meio ambiente fazendo uso de especialistas para que possam tirar dúvidas, informar, ensinar. Há várias formas de se envolver: há o voluntariado, você pode organizar um evento onde você vive; pode ajudar na criação de um jardim comunitário, mudar um hábito mal de consumo, comunicar suas prioridades àquele que você ajudou a eleger

Finalmente lembrem-se: Sozinhos não podemos fazer muita coisa, mas JUNTOS, com o objetivo maior de salvar nosso planeta, sempre podemos FAZER A DIFERENÇA. Para construirmos um futuro melhor, temos que assumir o compromisso de ajudar a proteger nosso ambiente, não só dia 22 de abril, mas todos os dias, porque todo dia é “Dia da Terra”. Se envolva! Comece!

De minha parte, já estou…

Downloads Disponíveis (clique no título para começar o download)

Carta da Terra para Crianças (bem didático)

Carta da Terra (texto integral)

Agenda 21 CT2002

Links interessantes:

No site Natgeo há um teste para medir o impacto que você causará no planeta terra, clique abaixo e tente:

http://www.natgeo.com.br/br/especiais/dia-da-terra/teste/

Documentário sobre o dia da terra em ingles

http://www.pbs.org/wgbh/americanexperience/films/earthdays/player/

Mapa de densidade populacional no planeta. Clique sobre a barra populacional e arraste para observar. É interessante.

http://www.dwtkns.com/density/

Como a terra é vista do espaço

http://tvig.ig.com.br/noticias/ciencia/como-os-astronautas-veem-a-terra-do-espaco-8a49800e3616e2450136dfd130b51431.html

Carta da terra dos povos indigenas redigida em 1992

http://www.culturabrasil.pro.br/cartadaterra.htm

Bandeira não-oficial do Dia da Terra: O Planeta sobre um fundo azul.

Abraços Fraternos a todos e até o próximo post, que espero seja em breve!

Publicado em Curiosidade, DIFUSÃO DE CULTURA, Divulgação, e-book, opinião, Utilidade Pública | Marcado com , , , , , , , , , | 1 Comentário

RE RE RE RE RECOMEÇO

Olá a todos.

O outono, o inverno, a primavera e o verão estão sendo longos, assim como as atividades que fervilham por aqui, de modo que não compareci muito no Blog nos ultimos tempos, pelo que me penitencio com meus seguidores e amigos.

Espero agora, com um pouco mais de tempo, poder normalizar e retomar aos poucos as atividades a que me dedicava com carinho, nestas, incluida a postagem frequente de material para todos.

De início, ofereço a vocês uma infinidade de livros que foram garimpados na NET. Todos eles foram baixados de sites, Blogs, centrais de compartilhamento, etc., de forma gratuita, assim como os disponibilizo. Graciosamente, como forma de inclusão social e difusão da cultura para todos, Àqueles que lerem e gostarem do material baixado recomendo a aquisição do livro original, como forma de prestigiar o escritor e estimulá-lo a escrever novas obras. Grande parte eu mesmo tenho em livros tradicionais em minha biblioteca.

Cliquem no menu acima na aba E-BOOKS, sigam os links ali colocados e LITERALMENTE “Boa Viagem”.

Abraços a todos e,

Inté de repente!

Sidney.

Publicado em DIFUSÃO DE CULTURA, e-book, Esotérico, esoterismo, Livros, Maçônico, maçom, RELIGIÃO | Marcado com , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Marcha contra a corrupção – vamos organizar; três livros selecionados; o otimismo; canto clássico; a vida e a construção; humor; receita fácil; horário de verão.

Bom(ao) Dia/Tarde/Noite a todos.

O tempo, já diziam os filósofos, é inexorável. Pessoas de sucesso (aqui entenda-se principalmente o sucesso sentido em nível pessoal, não o atribuído a outros), sabem o que fazer dele e como o fazer. Por vezes, ainda sinto o domínio do tempo como uma dificuldade que necessito – e muito – resolver. E você? Quando achamos que tudo está organizado, que tudo está perfeito, na forma como levamos nosso dia-a-dia, algo repentinamente surge e nele instala o CAOS. Por vezes a reestruturação de nossa agenda demora (por culpa nossa mesmo, que protelamos um tanto para fazê-lo e criamos umas poucas complicações), e, quando realmente decidimos por sua organização, é somente para perceber que um pouco mais à frente, a teoria do CAOS novamente se aplicará em nossas vidas e termos que formatar tudo novamente. O segredo, segundo pude perceber está na forma como encaramos a ocorrência dessas situações caóticas em nossas vidas. Quanto mais tranqüilos e em paz, quanto mais equilíbrio dispomos no momento, mais fácil é a transição e nossa conseqüente adaptação. Cabe a cada um descobrir como atingir esse estado de calma, equilíbrio, tranqüilidade e paz (mas se tiverem alguma receita, encarecidamente peço que me digam). Como deu para notar pelo espaço de tempo entre esta e a postagem anterior, eu não estava muito equilibrado, não é mesmo? Bom, agora, parece que ao menos por enquanto consegui me acertar por aqui, portanto, preparei uma postagem recheada de assuntos interessantes. O primeiro, a maioria de vocês já deve ter recebido via e-mail. Obtive algumas respostas e posicionamentos bem interessantes. Para logo vamos marcar aquela reunião.

Bom, resumindo, na Sessão de propostas e informações, uma pequena convocação, já encaminhada via e-mail a alguns de nós, para a realização de uma marcha contra a corrupção, embora aqui, um pouco adaptada ao meio(Blog). Mas vale para atingir alguns IIr.’. a mais. Se tiverem sugestões, idéias, opiniões, favor comentar o post, ou me encaminhar via e-mail.

Na biblioteca, três livros cujas pequenas sinopses encontram-se abaixo dos links para download e das respectivas imagens de capa, sobre mitologia, sobre perda da fé por um ex-pastor evangélico e sobre simbologia.

Em Hospitalaria, um pequeno texto sobre o otimismo, cuja leitura recomendo.

Na coluna de Harmonia, links para dois CD’s com belíssimas interpretações de músicas clássicas por cantores.

Na coluna Textos, o Ir.’. Rocio, encaminhou um texto realmente belo e profundo. Como ele desconhece quem possa ser o autor, peço a vocês, se souberem, a gentileza de revelá-lo, a fim que de eu possa dar o devido crédito. Grato.

Em Humor, uma pequena piadinha maçônica (SEGREDO, HEIN?).

Em Fraternidade do Ágape, uma receita de Tabule, muito fácil, e saudável.

Ao final, um pequeno lembrete acerta do horário de verão que começa à meia-noite do dia 16.10.11 (de hoje para amanhã) e termina em 18.02.2012

Espero que vocês apreciem. Utilizem à vontade. Divulguem. Manifestem-se.

Inté de repente! Abraços fraternos.

Sidney.

Propostas e Informações – (Utilidade Maçônica e Pública em geral)

Marcha contra a corrupção.

Pois é meus IIr.’.

Nós por enquanto continuamos parados,  aguardando… aguardando… aguardando!

Gostaria de ouvir idéias, de contar com a participação de todos, de tentar fazer alguma coisa, pelo amor do G.’.A.’.D.’.U.’.

Falei com um colega, militante desde o movimento dos caras pintadas, e ele me deu algumas orientações. Fiz um pequeno roteiro para organização de uma marcha/passeata, que foi apresentado a alguns membros da L.’. e ainda continuo aguardando uma manifestação a esse respeito.

Além disso, separei algumas músicas para um eventual carro de som. Anotei alguns segmentos sociais que podem ajudar a engrossar as fileiras (igrejas, comunidades estudantis, sociedades de bairro, Rotary, Lions, Capítulos De Molays, todas as outras LL\da Baixada…), fiz um pequeno Folder para apresentação do assunto… mas sozinho, por enquanto foi só isso que consegui, dado o tempo que disponho.

Estou aberto a sugestões, idéias, diálogos, determinações, ou o que seja, mas VAMOS FAZER ALGO, por favor. Se alguém a que não recebeu o pequeno roteiro, tiver interesse, me comuniquem via e-mail, que eu o envio. Se quiserem também posso entregar na L.’. na próxima Sessão.

Nós estamos em um momento delicado de nossa sociedade em que não só o corruptor e o corrompido são responsáveis, mas também NÓS, pretensos homens de bem, que honramos a família, a Deus e aos bons costumes, que juramos defender a Pátria e a Humanidade. Afirmo isso por causa da nossa INDIFERENÇA, de nossa INAÇÃO. Dia virá em um futuro não tão distante, em que nos arrependeremos amargamente de nada ter feito. A situação então nos atingirá DIRETAMENTE, e provavelmente quando isso acontecer, SERÁ TARDE DEMAIS PARA UMA REAÇÃO PACÍFICA, que pode ser realizada ainda hoje.

Pensem com carinho nisso meus IIr.’.. Não defendamos este ou aquele partido, esta ou aquela ideologia, esta ou aquela potencia ou obediência, este ou aquele Or.’.. Defendamos antes de qualquer coisa, NOSSA FAMILIA, NOSO BAIRRO, NOSSA CIDADE, NOSSO POVO, NOSSA NAÇÃO, A HUMANIDADE. Em todos os lugares, pessoas se mobilizam por isso (Vide os recentes casos no Oriente Médio, no movimento Occupy Wall Street, que se alastra por todo os EUA, vide a continuação da marcha contra corrupção: 07.09.11; 12.10.11). Aqui no Brasil, pequenos grupos ainda, é verdade, mas é um INICIO. E onde estamos nós os construtores sociais? Alguns (bem poucos mesmo) corajosos, bravos, destemidos IIr.’. MMaç.’. já arregaçaram as mangas Brasil afora, no ultimo dia 12.10. Nós, no entanto, estamos apenas no conforto de nossos lares e de nossa vida perfeita, desprovida de problemas! Basta de indiferença. Precisamos de TODOS!

Pensem sobre isso, divulguem ao máximo em todos os locais, em todas as cidades deste Brasil. Se preferirem falem em  meu nome, nada devo a ninguém e nada tenho a esconder e DOU SIM A CARA À TAPA! Precisamos de todo auxilio possível. Aqueles que herdarão o mundo, certamente lembrarão que um dia, um grupo anônimo de cidadãos de bem, que amaram seu povo, ao menos tentaram fazer alguma coisa pela mudança necessária.

Eu VERDADEIRAMENTE VOS AMO A TODOS, MEUS IIR.’. Sei que todos têm suas dificuldades, mas a hora do trabalho chegou. Humildemente peço sua participação seja de que forma vier, mas por favor, participem. Rogo entendam este e-mail como o Sin.’. de Soc.’. feito por um membro de nossa Instituição.

Estou, como sempre, no aguardo pela atividade, sempre em P.’. e à Ord.’. para qualquer um de vós.

Um T.’. F.’. A.’.

Sidney Machado Junior, CIM  56099   –   ARGBLS Duque de Caxias, 70, Or. S.Vicente-SP    –   Fone: 13 9172-7079 – e-mail: sidmachado@ibest.com.br

Biblioteca – (Indicação de Livros e download de e-books)

 

Livros oriundos do “Cantinho da leitura”, Grupo de compartilhamento do “Google Groups”.

Roy Willis – Deuses, Heróis E Xamãs Nas Tradições E Lendas De Todo O Mundo

http://www.4shared.com/file/46EplLck/Mitologias_-_Deuses_Heris_e_Xa.html

Contar histórias é uma das artes mais antigas na humanidade. Toda cultura nasce aliada a uma história de criação, a um mito. No dicionário Houaiss da língua portuguesa, a palavra mitologia é definida como “conjunto dos mitos de determinado povo”. As histórias são apreciadas tanto por adultos quanto crianças. Em geral, todo mundo já ouviu ao menos falar das mitologias grega e romana, mas o leque de opções é muito maior.

Bart D. Ehrman – O Problema Com Deus

http://www.4shared.com/document/mfL6O4Ke/Barth_D_Herman_O_problema_com_.html



Doutor em estudos bíblicos, Ehrman é um ex-pastor evangélico e conhecedor das escrituras. Estudando o livro sagrado dos cristãos, ele desconstrói vários conceitos, entre eles o do sofrimento do mundo, causado pelo pecado original. Honesta e logicamente, ele conta suas experiências pessoais e mostra o que o levou a perder a fé. E por que o Deus no qual ele acreditava não existe.

Norbert Elias – Teoria Simbólica

http://www.4shared.com/document/qu0dQmD-/Teoria_Simblica_-_Norbert_Elia.html

Este último livro de Norbert Elias exprime, de forma exemplar, as virtualidades da síntese de conhecimentos com origem nas ciências naturais e sociais, por um lado, e nas diferentes ciências sociais, por outro.

Hospitalaria – (artigos de interesse sobre saúde e afins)

Otimismo faz bem para saúde, mas faz com que pessoas subestimem riscos (fonte: Blog HypeScience)

O cérebro parece querer sempre nos deixar para cima, nos afastando de pensamentos negativos. Um novo estudo, publicado na revista Nature Neuroscience, sugere que o cérebro é muito bom no processamento de boas notícias sobre o futuro. Algumas pessoas têm uma visão tão positiva do mundo que praticamente todo o lado negativo das coisas é ignorado.

O otimismo é mais do que um estilo de vida. Segundo os pesquisadores, a visão positiva da vida traz benefícios importantes para a saúde. Um estudo que avaliou cerca de 100 mil mulheres demonstrou que as mais otimistas têm um menor risco de morte por doenças cardíacas.

Mas quando o otimismo supera o realismo, ele pode causar problemas. Por exemplo, mensagens contra o tabagismo não funcionam com pessoas que pensam que suas chances de desenvolver um câncer ou morrer por causa do cigarro são baixas.

Mesmo que a taxa de divórcio seja de 50%, os otimistas continuarão achando que seus casamentos certamente durarão para sempre, e podem se desiludir no futuro. Para essas pessoas, existe certo de preconceito quanto a informações ruins pelo cérebro.

É interessante observar que, mesmo com evidências claras, muitas vezes o cérebro surge com respostas erradas por serem conclusões excessivamente otimistas. O aspecto negativo do otimismo é subestimar os riscos. [BBC]

Coluna da Harmonia – (Indicação de músicas, álbuns e links para download)

The Number One Classical Album 2006

CD1

http://www.megaupload.com/?d=U7SRPGGD

1-01. IL Divo-Heroe.mp3
1-02. Hayley Westenra – O Mio Babbino Caro.mp3
1-03. Bryn Terfel – She Was Beautiful [Cavatina].mp3
1-04. Kiri Te Kanawa – Vissi D’arte.mp3
1-05. Amici Forever – Adagio [Albinoni].mp3
1-06. Vanessa Mae – Minuet.mp3
1-07. Nicola Benedetti – Meditation [From Thais].mp3
1-08. G4 – Nessun Dorma.mp3
1-09. Placido Domingo – Ave Maria.mp3
1-10. Renee Fleming – Laudate Dominum.mp3
1-11. Russel Watson – I Believe.mp3
1-12. The Sixteen – Agnus Dei.mp3
1-13. Robert Meadmore – A Vuchella.mp3
1-14. Jose Carreras – O Sole Mio.mp3
1-15. Katherine Jenkins – Barcarolle.mp3
1-16. Les Choristes – Les Choistes.mp3
1-17. Jon Christos – Jubilate Domum.mp3
1-18. Einaudi – Love Is A Mystery [Dr Zhivago].mp3
1-19. Patrick Hawes – Reflexionem.mp3
1-20.Vittorio Grigolo – Listen To The Bell.mp3

CD2

http://www.megaupload.com/?d=1HV2GWTN

2-01. Katherine Jenkins – L’amore Sei Tu [I Will Always Love.mp3
2-02. Andrea Bocelli – La Donna E Mobile.mp3
2-03. Aled Jones – Places [Out Of Africa].mp3
2-04. Luciano Pavarotti – Santa Lucia.mp3
2-05. The Choirboys – Tears In Heaven.mp3
2-06. Lesley Garrett – Climb Every Mountain.mp3
2-07. Joseph Mcmanners – In Dreams.mp3
2-08. Bryn Terfel & Aled Jones – Panis Angelicus.mp3
2-09. Andreas Scholl – Che Faro Senza Euridice.mp3
2-10. Emma Johnson – Voi Che Sapete.mp3
2-11. James Galway – Gymnopedie No.3
2-12. Jean Yves Thibaudet – Dawn [From Pride & Prejudice].mp3
2-13. Anna Netrebko – Song To The Moon.mp3
2-14. John Rutter – Look At The World.mp3
2-15. Julian Lloyd Webber – Air On A G String.mp3
2-16. Karl Jenkins – Adiemus.mp3
2-17. Mario Lanza – Vesti La Giubba.mp3
2-18. Myleene Klass – Allegretto.mp3
2-19. Sissel – Marble Halls.mp3
2-20. Triniti – Brighids Kiss.mp3
2-21. Nicky Spence – Auld Lang Syne.mp3

Textos – (Esotérico – Exotérico – Maçônico – Religião)

Autor Desconhecido (transcrito como:  “A Vida e a Construção

Caros irmãos,

Nós que somos denominados construtores, pedreiros, desbastadores de pedra, temos que ter um conceito pessoal sobre a construção social que apregoamos e a vida que vivemos.

A vida é uma eterna construção onde os espaços e os limites são delineados e restringidos por cada um de nós. Ademais, baseados na maneira como cada pessoa arquiteta seus esboços, podemos caracterizar alguns estilos de “construtores”.

Primeiramente, existem as pessoas que estabelecem um círculo tão pequeno ao redor de si mesmas que tristemente se enclausuram numa redoma que perpetua a separação, a segregação e o egoísmo. Tais pessoas, limitadamente vivem suas vidas.

Depois, existem as pessoas que ampliam o seu círculo para abarcar um pouco mais de sua família, de seu grupo social, de seus companheiros de afinidades, de suas crenças religiosas, de suas ideologias e, como resultado, conseguem captar, intercambiar e saborear um pouco mais das belas interações de suas vivências.

Ademais, existem seres humanos que abrem completamente os seus círculos para poderem receber e viver tudo e todos que durante a passagem da vida passam por suas presenças. Essas, são pessoas que vivem fervorosamente, pensam com o coração, falam com a essência da sua alma, desprendidos de qualquer apego e, portanto, livres para viver e ver os outros como uma extensão de si mesmas que aqui estão para trocar dádivas de vida com o intuito de nos completarmos nesta realidade de interdependência que vivemos.

Assim sendo, que todos procuremos deixar aflorar em nossas vidas tais seres porque eles estão latentes em nossas almas e, ademais, desejo-vos um feriado repleto de Liberdade, cordialidade e ampliação de vossos ciclos de vivência.”

Humor – (para alegrar o dia)

SEGREDO MAÇÔNICO

Antônio, logo após se casar com Marlene, entrou para a Maçonaria.

Mas a mulher não aceitava o fato do marido sair sempre para as reuniões do “bode preto”.

– Afinal, o que você faz nestas reuniões?

E sempre perguntando o que acontecia lá, pois se ela soubesse seria mais fácil aceitar as suas ausências. De tanto ela perguntar, Antônio teve uma idéia! Eureka!! Chegou para a Marlene e disse.

– Amor vou fazer uma promessa para você. Quando fizermos 25 anos de casados, eu te conto o que acontece lá nas reuniões, pensou Antônio achando que ela esqueceria até lá.

Deste dia em diante a vida foi uma maravilha, Marlene nunca mais perguntou sobre a Maçonaria. Passaram-se os anos e lá vieram as bodas de prata… Viagem, segunda lua de mel e eis que senão Marlene…

– Beeenhê! Você esta me devendo uma coisa…

– Mas Marlene esta tudo tão bem. A nossa segunda lua de mel esta ótima, o que te falta?

– Você me prometeu que quando a gente fizesse 25 anos de casados você me contaria o que vocês fazem nas reuniões.

Antônio teve ganas de esganar Marlene… Mas se lembrou de seus tempos de aprendiz, de suas lições e, com equilíbrio e tolerância, se conteve e falou…

– Bem todas as vezes que nós nos reunimos, o Venerável Mestre leva para o centro do salão, uma caixa com 100 pintinhos de um dia, Ele solta os pintinhos e cada um de nós pega o maior número possível de pintinhos. Aquele que pega o maior número ganha prêmio. Sobe de grau…

Marlene se deu por satisfeita.

Porém um belo dia, logo depois de voltarem da segunda lua de mel, Antônio esta indo com sua maleta para a Sessão e a vizinha dona Elvira ao vê-lo todo arrumado berrou lá da sua janela…

– Ai seu Antônio… Já vai catar pintinhos, hein???!!!!

Fraternidade do Ágape – (delícias gastronômicas)

 

Tabule

Tempo   1h30
Rendimento    4 Porções
Dificuldade   Fácil

Ingredientes
150g de trigo para quibe
2 tomates picados
1 pepino em cubos
3 cebolinhas verdes picadas
2 colheres (sopa) de salsa picada
2 colheres (sopa) de hortelã picada
3 colheres (sopa) de azeite
3 colheres (sobremesa) de suco de limão
Sal e pimenta-do-reino a gosto
1 pé de alface limpa e picada

Modo de preparo

Em uma tigela coloque o trigo, cubra com água quente e deixe descansar por 1 hora mexendo de vez em quando. Depois do trigo esfriar, escorra bem e coloque-o em uma tigela. Coloque os demais ingredientes e misture bem. Por último, coloque a alface picada e torne a misturar.

Colaboradores
Culinarista: Mirian Soro/colaboradora
Foto: Stela Handa

Lembrete:

Horário de Verão:

O horário de verão 2011 começará a partir de 0h do dia 16 de outubro de 2011.

Portanto no sábado dia 15 de Outubro quando for deitar adiante o seu relógio em 1hora porque, quando você acordar no domingo 16, já é o novo horário.

Consequentemente quando for no dia 18 de fevereiro, sábado, faça o inverso, atrase seu relógio em 1h, pois quando você acordar no domingo dia 19 de fevereiro de 2012, o horário já voltou ao normal.

Isso de acordo  um decreto assinado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva em 2008, o horário de verão terá inicio sempre no terceiro domingo de outubro e acabará sempre no terceiro domingo de Fevereiro de cada ano.

Espero que todos tenham uma excelente semana!

Inté de Repente!

Sidney.

Publicado em Cadeia de união, coluna da Harmonia, DIFUSÃO DE CULTURA, Divulgação, e-book, Esotérico, esoterismo, Fraternidade do àgape, Hospitalaria, Livros, Maçônico, maçom, opinião, Utilidade Pública | Marcado com , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Curso On line grátis; dois e-books(cabala e fritjof kapra); diabetes; Beethoven; Reflexão George Carlin; receita gastronômica

Bom(ao) Dia/Tarde/Noite a todos.

Hoje trago a vocês um curso on line e gratuito sobre iniciação política, apresentado pelo Instituto Legislativo Paulista. Testei o link e funciona perfeitamente. No cabeçalho, ante de se proceder à inscrição á informação que o curso se destina a jovens, preferencialmente. Como preferencialmente, não é exclusivamente, eu também fiz a inscrição, afinal, pelo menos mentalmente ainda sou jovem, não é (rs). No final do curso para aqueles que o concluírem e fizerem a prova, há possibilidade de emissão de um certificado. Indico hoje, dois livros, um sobre Cabala e outro de autoria de Fritjof Kapra, ambos muito interessantes. Links para jornal aos portadores de diabetes e para receitas, bem como pequeno artigo sobre diabetes tipo 2 com fonte e link para acesso ao original. Indicação de CD “Beethoven para meditação”, com lista de músicas e link para download do mesmo. RECOMENDO. Em seguida, um pequeno texto que remete à reflexão, de autoria de George Carlin, acho que o mesmo deveria ser lido todos os dias, por todos nós. Por fim, uma receita gastronômica para nossas noites de frio.

Espero que vocês apreciem.

Inté de repente!

Sidney.

Propostas e Informações – (Utilidade Maçônica e Pública em geral)

Curso Grátis de Iniciação Política

Posted: 14 Mar 2011 12:47 AM PDT


O ILP – Instituto do Legislativo Paulista, em parceria com a Fundação Mário Covas, está oferecendo um curso à distância de “Iniciação Política”, totalmente gratuito. Os interessados deverão fazer o cadastro e, no decorrer do curso, responder aos exercícios propostos.
O Curso está dividido em 5 módulos, com os seguintes conteúdos:
Módulo 1De Vargas a Lula
República Federativa – Era JK – Renúncia de Jânio – Regime Militar – Anos de Chumbo – Anos Incríveis – Ame-o ou Deixe-o – Último General – Diretas Já – Enfim, a Democracia – Plano Real – Governo FHC – Lula chega à Presidência.
Módulo 2Política e Organização Social
Estado e Governo – Poderes do Estado – A Distribuição do Poder – Sistemas de Governo – O Estado Brasileiro – Legislar para o Brasil – Administrar a Nação – O Poder de Julgar – O Ministério Público.
Módulo 3Política, Eleições e Partidos
A Política na Vida – Votar: direito ou dever? – Voto e cidadania – Que valor tem o seu voto? – Como se vota no Brasil – Capacidade eleitoral – Partidos Políticos – Sistema Partidário.
Módulo 4Ética e Política
A morada humana – Virtude, ação e equilíbrio – Ética e cidadania – O reconhecimento do outro – O Brasil que queremos – A Ética na ação política – A base ética na educação – Responsabilidade e Gestão – Gastar com Segurança – Acesso público – O exemplo de São Paulo.
Módulo 5Política e Futuro
Ontem, hoje, amanhã – O espaço de participar – Informação, história – A clássica divisão histórica – Um milênio de possibilidades – Uma revolução global – O desafio das novas gerações – A questão ecológica – Os movimentos internacionais – Os meios de comunicação – A era da Informação – Reinventando a Cidadania.

No final dos 5 módulos, haverá uma prova online.
Haverá certificado para aqueles que obtiverem nota mínima de 7 pontos na prova final.

Para acessar o curso clique aqui

Biblioteca – (Indicação de Livros e download de e-books)

Livro: O Poder da Cabala


Antes envolta em mistério, a Cabala agora, pode ser descoberta por você. Imagine sua vida plena de propósito, entendimento e um contentamento sem fim. Imagine seus dias impregnados com profundo insight e energia. Esse é o Poder da Cabala, um poder que vem sendo negado ao mundo há cerca de dois mil anos! Seus desejos mais profundos deveriam ser sempre atendidos. Mas, o sistema e a fórmula para despertar verdadeira plenitude estiveram perdidos durante séculos até agora. Enquanto que a maioria dos livros sobre Cabala lhe oferece uma enchente de informações históricas e acadêmicas, números e fatos, o Poder da Cabala coloca em suas mãos princípios genuínos e práticos para viver na Luz!Easy-share – Download
Megaupload – Download

Fritjof Capra – Conexoes Ocultas

Ciência para uma vida sustentável

EDITORA CULTRIX São Paulo Tradução Marcelo Brandão Cipolla Título do original: The Hidden Connections. Copyright © 2002 Fritjof Capra. ISBN 8531607485

As últimas descobertas científicas mostram que todas as formas de vida – desde as células mais primitivas até as sociedades humanas, suas empresas e Estados nacionais, até mesmo sua economia global – organizam-se segundo o mesmo padrão e os mesmos princípios básicos – o padrão em rede. Neste livro, Fritjof Capra desenvolveu uma compreensão sistêmica e unificada que integra as dimensões biológica, cognitiva e social da vida e demonstra que a vida, em todos os seus níveis, é interligada por redes complexas.

http://www.megaupload.com/?d=I05NPJKW

Hospitalaria – (artigos de interesse sobre saúde e afins)

Educação em Diabetes


O site Anad (Associação Nacional de Assistência ao Diabético) disponibiliza as últimas edições do “Jornal Anad Informa” voltado aos portadores de diabetes. Para que você possa efetuar o download e ler o jornal em seu computador é necessário ter instalado o Acrobat Reader. Oferece também muitas receitas de sobremesas e outros pratos, além de informações e educação sobre diabetes.
Link para jornal: clique aqui
Link para receitas: clique aqui

Diabetes mellitus: FDA aprova o Tradjenta (linagliptina), um inibidor da DPP- 4, para controle glicêmico de diabéticos tipo 2


O Tradjenta (linagliptina) pertence à classe dos inibidores da dipeptidil peptidase–4 (DPP-4). Ele foi desenvolvido por Boehringer Ingelheim Pharmaceuticals, Inc. e Eli Lilly como um comprimido de dose única diária de 5 mg, usado por via oral, para controle glicêmico de pacientes com diabetes mellitus tipo 2. O medicamento pode ser prescrito como monoterapia ou associado à metformina, glimepirida ou pioglitazona já utilizadas pelos pacientes.

O Food and Drug Administration aprovou o Tradjenta (linagliptina), um inibidor da DPP- 4, usado juntamente com a dieta e a prática regular de exercícios físicos para melhorar o controle da glicemia de pacientes diabéticos tipo 2.

Esta aprovação fornece uma nova opção de tratamento para esta doença que atinge milhares de pacientes em todo o mundo. O medicamento não foi estudado em combinação com o uso de insulina e não deve ser usado por pacientes com diabetes tipo 1 ou na cetoacidose diabética.

Tradjenta aumenta os níveis de hormônios que promovem a liberação de insulina após as refeições por bloquear uma enzima, a dipeptidil peptidase–4 ou DPP-4, auxiliando o melhor controle glicêmico. O medicamento demonstrou ser seguro e eficaz em estudos clínicos duplo-cegos, controlados por placebo, envolvendo mais de 3.800 pacientes com diabetes tipo 2.

Os efeitos colaterais mais comuns observados foram infecções no trato respiratório superior, prurido e coriza nasais, dor de garganta, cefaleia e dores musculares.

Fonte: FDA

NEWS.MED.BR, 2011. Diabetes mellitus: FDA aprova o Tradjenta (linagliptina), um inibidor da DPP- 4, para controle glicêmico de diabéticos tipo 2. Disponível em: <http://www.news.med.br/p/pharma-news/180515/diabetes+mellitus+fda+aprova+o+trad.htm>.

Coluna da Harmonia – (Indicação de músicas, álbuns e links para download)



Beethoven – For Meditation

01.  Moonlight Sonata-Adagio Sostenuto
02.  Violin Romance No 2
03.  Fur Elise
04.  Septet-Adagio Cantabile
05.  Triple Concerto-Largo
06.  Clarinet Trio-Adagio
07.  Pathetique Sonata-Adagio
08.  Violin Concerto-Larghetto
09.  Cello Sonata No 3-Adagio Cantabile
10.  Violin Sonata No 5-Spring-Adagio Molto Espressivo
11.  Piano & Wind Quintet-Andante Cantabile
12.  Pastoral Symphony-Scene By The Brook

http://www.fileserve.com/file/ZY8jQs7

or

https://rapidshare.com/files/789101199/Beethoven_-_For_Meditation.rar

or

http://www.megaupload.com/?d=CRK5X0DI

Textos – (Esotérico – Exotérico – Religião)

Fraternidade do Ágape – (delícias gastronômicas)

SOPA DE CEBOLA COM MISSÔ


Que tal uma sopa leve e saudável antes de dormir?

6 porções

111 Kcal

Ingredientes

Caldo de legumes
4 cravos-da-índia
1 cebola grande
2 dentes de alho
1 cenoura
2 tomates picados
1 alho-poró
2 talos de salsão
1 maço de cheiro-verde
1 colher de chá de sal

Croutons
2 pães de forma integral light, sem casca
1 colher de sopa de azeite de oliva
1 colher de sopa de água
Orégano seco a gosto
Cebolinha verde para salpicar

Sopa de cebola
2 colheres de chá de azeite de oliva
3 cebolas médias fatiadas
2 colheres de sopa de missô
Salsa picada a gosto
4 colheres de sopa de queijo tofu defumado ralado grosso

Modo de preparo

Caldo de legumes
Espete os cravos-da-índia na cebola e coloque na panela com o restante dos ingredientes. Adicione 4 litros de água e leve ao fogo para cozinhar por cerca de 1 hora, em fogo baixo, até reduzir a metade. Espere amornar, coe em uma peneira e reserve.

Croutons
Corte os pães em cubinhos. Misture o azeite, a água e o orégano e besunte os cubinhos de pão. Leve ao forno por cerca de 10 minutos, ou até que fiquem dourados e crocantes.

Sopa de cebola
Refogue as cebolas no azeite por cerca de 10 minutos até que amaciem. Junte o caldo reservado e deixe cozinhar por mais 20 minutos, em fogo baixo. Misture o missô e a salsa e distribua em seis cumbucas refratárias. Salpique o tofu, os croutons e a salsa. Sirva a seguir.

fonte:http://suadieta.uol.com.br/Receitas.mvc/Ver/649

Publicado em coluna da Harmonia, Divulgação, e-book, Esotérico, esoterismo, Fraternidade do àgape, Hospitalaria, Livros, Maçônico, maçom, Utilidade Pública | Marcado com , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Trabalho sobre “A CARIDADE”

Bom (oa) dia/tarde/noite a todos.

Recentemente me foi solicitada a apresentação de um trabalho sobre um tema cuja aplicação torna-se extremamente necessária em nossos dias: A CARIDADE. Já realizei um sobre a Esperança, agora só falta sobre a Fé, para completar os degraus da Escada de Jacó.

Reuni informações internas e diversas informações externas, coletadas aqui e acolá – conforme bibliografia ao final. Tentei não ser prolixo, resumi o máximo que pude para que o texto não perdesse o sentido. Porém, mesmo assim, o texto ficou extenso para ser apresentado em apenas sete ou oito minutos, o tempo que dispunha para tanto. Qualquer parte que dele fosse retirada, afetaria o resultado final. Por não dispor de projetor e telão, o que certamente cativaria a atenção daqueles a quem destinada a mensagem, optei por colocar o texto no Blog, para consulta daqueles eventualmente interessados.

O tema é muito bonito e eclético. Creio oportuno e necessário em nossos dias.

Convido todos aqueles que lerem o trabalho, a manifestar sua opinião. Utilizem o campo destinado a comentários abaixo do texto no Blog e acrescentem algo que queiram dizer. Vamos tentar fazer algo diferente e colocar experiências, opiniões, sensações, vivências, sugestões, ainda que divergentes. Todos somos livres para fazê-lo, além do que temos o dever de tolerância e fraternidade, que deve partir antes de tudo de nossos corações, afinal, ambos são manifestações do amor-caridade, não são?

Apenas para adicionar: inicialmente, não coloquei no trabalho o seguinte dado, dado acrescentado posteriormente: No Brasil, o dia 19 de julho tornou-se oficialmente o Dia da Caridade através da Lei nº 5.063, de 1966, por decreto do então presidente Humberto Castelo Branco. Ironicamente, em plena ditadura militar. Ajudar o próximo, promover a inclusão social, diminuir de alguma forma o sofrimento das pessoas, tudo isso é ser caridoso. Pratique a caridade todos os dias!

Bom, sem mais delongas, vamos ao texto.

Boa Leitura e Até de repente!

Sidney.

A Caridade

“Caridade é, sobretudo, amizade. Para o faminto:- é o prato de sopa. Para o triste: é a palavra consoladora. Para o mau: é a paciência com que nos compete auxiliá-lo. Para o desesperado: é o auxílio do coração. Para o ignorante: é o ensino despretensioso. Para o ingrato: é o esquecimento. Para o enfermo: é a visita pessoal. Para o estudante: é o concurso no aprendizado. Para a criança: é a proteção construtiva. Para o velho: é o braço irmão. Para o inimigo: é o silêncio. Para o amigo: é o estímulo. Para o transviado: é o entendimento. Para o orgulhoso: é a humildade. Para o colérico: é a calma. Para o preguiçoso: é o trabalho. Para o impulsivo: é a serenidade. Para o leviano: é a tolerância. Para o deserdado da Terra: é a expressão de carinho.” Francisco Cândido Xavier

Caridade, uma das sete virtudes do Cristianismo e uma das três virtudes teologais.

Pode ser interpretada como “amar ao próximo como a si mesmo”. A partir desse excerto da máxima do Cristo “amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo”, podemos compreender a caridade como uma via de mão dupla, porquanto para se amar ao próximo, há a necessidade de o indivíduo amar a si mesmo. Teólogos cristãos afirmam que quanto mais o indivíduo busca respostas sobre como amar a si mesmo, maior a possibilidade de ele vir a também amar ao seu próximo.

O radical da palavra, “caritas”, deriva de “carus”, que por sua vez quer significar: de alto valor, querido, caro.

Entretanto, caridade não nasce na semântica, nem na etimologia, mas sim, do coração humano que se volta para amar o próximo sem fins de lucro ou como forma de acalmar a própria consciência perante o que nos rodeia. Significa o mesmo que Ágape (amor fraternal, desinteressado).

O compendio do catecismo da Igreja Católica afirma ser essa virtude, “o vínculo da perfeição (Cor. 13,14) e o fundamento das demais virtudes, que ela anima, inspira e ordena”

A caridade tem o seu dia: 19 de julho, instituído pela Lei nº 5.063 de 04.07.1966, você sabia? Seja qual for a resposta, pergunto: o que podemos comemorar?

Bom, passando ao que interessa, o que eu realmente gostaria que fosse refletido intimamente por todos é a seguinte questão: “O que vem a ser realmente a caridade?”.

Cada um de nós possui uma interpretação bem pessoal quando ao seu significado, embora, de uma maneira geral achemos que seja praticar “boas ações” umas poucas vezes ao ano, como no natal, na páscoa, em campanhas para arrecadação de alimentos ou roupas. Poderia ser também dar esmola ao necessitado; Dar de comer a quem pede; Comprar uma rifa beneficente; Contribuir mensalmente e mecanicamente para a manutenção de entidades filantropicas de ajuda; Depositar um óbolo na bolsa de beneficência; Dar o que nos sobra aos carentes;

Pergunto ainda: Qual a forma como isso é feito? O é de coração? Simplesmente serve para nos dar consciência tranquila do dever cumprido como cristãos? Ou para garantirmos a indulgencia que nos levará diretamente ao Oriente Eterno? Com que frequencia praticamos a caridade?

Esses atos acima podem até ser considerados atos caritativos, mas, de forma alguma exprimem a grandiosidade desta virtude que deveria ser praticada mais amiude por todos nós. Assim da forma como acima demonstrado, será que conseguiremos atingir a “meta” de caridade esperada por Deus?

Por Deus! A caridade deve ser vivida diuturnamente, não praticada esporadicamente de acordo com a oportunidade ou a conveniência de cada um. A caridade não está em uma despensa, para ser pega, usada e devolvida. Ela tem de estar com você, em você, dentro do coração. Todas as pessoas devem ser olhadas com bons olhos, com amor, com compaixão.

A caridade não deve ser apenas material, essa é a mais fácil de ser praticada. O que devemos atentar é para a prática diária da caridade MORAL, aquela que materialmente nada custa, e não obstante é a mais dificil de ser posta em prática. Entre outras coisas, a caridade moral consiste também em saber calar quando outro mais tolo que nós não o faz; Em fazer-se de surdo quando palavra irônica escapa de boca habituada a caçoar; Em desconsiderar o sorriso desdenhoso que por vezes se recebe de pessoas que se consideram superiores às outras; O não se incomodar com as faltas alheias também é uma modalidade de caridade. Uma não deve impedir a prática da outra. As duas se necessitam e se complementam.

Chico Xavier

Dois preceitos que se encontram presentes em todas as religiões, em toda a moral, deveriam ser cantados como mantras diários em nossas vidas: “Amarmos uns aos outros” e “fazer ao próximo o que gostaríamos que nos fosse feito”. Se assim nos policiassemos e agíssemos, não mais haveria ódio, ressentimentos, cobiça, inveja, guerras, enfim, os “pecados”, as “picuinhas diárias”, os vícios seriam encerrados em masmorras profundas.

Na Biblia – O Livro Sagrado adotado pela maior parte do Ocidente – há uma passagem em que o apóstolo Paulo, em carta aos Corintos, exprime sucintamente e de forma maravilhosa o que vem a ser a verdadeira caridade: permitam-me substituir apenas a palavra amor, pela palavra caridade (caridade é talvez a manifestação suprema do amor). O texto não perde o sentido, pelo contrário, fica tão belo quanto o original. Vejamos:

Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse caridade, seria como o metal que soa ou como o sino que tine”.

“E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse caridade, nada seria.”

” E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse caridade, nada disso me aproveitaria”.

“A caridade é sofredora, é benigna; a caridade não é invejosa; não trata com leviandade; não se ensoberbece”.

“Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal. Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade”.
“Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta”.
“Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e a caridade. Mas a maior destas é a caridade” (Paulo, I Coríntios, cap. XIII, vers. 1 ao 13).

Reflitam: “a maior destas é o amor” (ou caridade).

Agora, vamos nos permitir um pequeno exercício: Vamos analisar o texto, trecho a trecho e tentar obter o entendimento, a sublime sabedoria desses lindos versículos. Evidente que cada um terá seu próprio entendimento, o explicitado abaixo é a forma singela como consegui interpretar.

“Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse caridade, seria como o metal que soa ou como o sino que tine”.

Este trecho é um alerta: De que vale a beleza da palavra, se ela vier desacompanhada de atitudes. Essa atitude vem da mudança íntima, necessária a todos, do desbaste de nossa pedra bruta, da luta constante contra as imperfeições. Se não acontece essa mudança, ocorre o barulho do sino que tine, a atenção é despertada, mas a modificação necessária de corações e inteligências a que se direciona a palavra não ocorrerá.

“E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse caridade, nada seria.”

Alguém que tenha conhecimento espiritual e que tenha fé, não é necessariamente um indivíduo caridoso. Quanto mais sabemos, maior nossa responsabilidade perante a vida. Aquele que tem o conhecimento deve acima de tudo, buscar a humildade para servir ao seu semelhante. A fé, em si não é sinônimo de caridade, pois desacompanhada de obras. Por mais que tenhamos fé em um Princípio Supremo e ainda em nossas forças, se não praticarmos o que acreditamos, o que cremos, e dermos o bom exemplo, nada seremos.

“E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse caridade, nada disso me aproveitaria”.

O ato de ajudar nosso semelhante materialmente, é importante, desde que essa ajuda seja totalmente desinteressada, devemos ser irmãos daqueles que socorremos, e devemos ter como objetivo o amparo e o alivio do sofrimento alheio. A intenção nesse ponto, importa muito, se doamos, com intuito de aparecer aos outros, ou como forma de alivio, de nada vale, e corre o risco de ser ainda pior do que não houvéssemos ajudado, porquanto, ao não observarmos a intenção, nosso semelhante pode sentir-se humilhado. Nesse mesmo sentido, a auto-punição, o auto-castigo, é desnecessário, devemos sim sufocar nossas más tendências, aquilo que é verdadeiramente a causa de muitas de nossas vicissitudes.

“A caridade é sofredora, é benigna; a caridade não é invejosa; não trata com leviandade; não se ensoberbece”.

A caridade nos faz entender as dificuldades e os obstáculos da vida, que devem ser vencidos com resignação para que possamos progredir espiritualmente. A bondade passa a ser aplicada a todos, indistintamente, independentemente do momento, os sentimentos negativos dão lugar ao perdão que é fato de enobrecimento do ser humano. Além da resignação e do perdão, a prudência deve acompanhar ao buscador da caridade, de forma a afastar a leviandade e orgulho, que  nos afastam do Criador.

“Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal. Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade”.

A caridade busca decência e fraternidade, em um mundo onde se busca a auto satisfação. De que adianta levarmos vantagem em tudo, se nosso irmão sofre com isso. Essa dor, tende a se tornar desespero, rancor e violência, que fatalmente, nos atingirá, aos nossos filhos, ou amigos. Quando nos irritamos, deixamos de ter razão, e em razão disso, paciência e sensatez, também integram a caridade. Quando pensamos antes de agir, a justiça faz presença, nos liberta das mentiras, intrigas e dos interesses pessoais. A verdade prevalece e nos libra da ignorância.

“Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta”.

Saber esperar é próprio da caridade. Quando vemos além da vida material, nosso horizonte ilumina, o que nos mantém vivos e animados. O caminho do equilíbrio, que a caridade nos lega, nos faz buscar esclarecimentos na sabedoria, nos afastando do desespero.

“Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e a caridade. Mas a maior destas é a caridade” ( Paulo, I Coríntios, cap. XIII, vers. 1 ao 13).

Perceberam o que a prática da real caridade pode nos proporcionar? Mudança íntima, humildade, obras, exemplo, doação desinteressada, resignação, bondade, perdão, prudência, decência, razão, tranqüilidade, sabedoria, justiça, amor ao próximo como a si mesmo.

Paulo nos afirma, nessas poucas linhas, que a CARIDADE é um conjunto de atributos morais e intelectuais, que proporciona ao nosso Espírito ser dono de seu próprio destino.

Irmã Dulce

A caridade-amor é uma dádiva de si mesmo, é o oposto de “usar”, é um sentimento ou ação altruista, o ajudar sem esperar recompensa, é amar plenamente seu próximo, é ser benevolente, bondoso, compassivo. Não é somente um sentimento, mas sim a capacidade de agir mediante a expressão profunda do desejo de exercer o bem ao próximo, porquanto TODO ser humano, possui a fagulha divina que o anima, e, se cremos e amamos verdadeiramente a Deus, devemos reverenciá-la em nosso semelhante, indo de encontro a ele, servindo-o e amando-o como ele é. Esta deve ser, unicamente a nossa recompensa, estar presente, como se pode, junto a quem é órfão de amor.

Recentemente tivemos alguns exemplos em nosso Orbe, que dessa forma viveram: Madre Teresa de Calcutá, Irmã Dulce e Chico Xavier todos hauriram a sua capacidade de amar o próximo, de modo sempre renovado, vivenciando a experiência amorosa proporcionada do interior, um amor que, por sua natureza, foi ser ulteriormente comunicado aos outros. O amor-caridade cresce através de si. Ele provém da fagulha Divina que nos anima e a Deus nos une, transformando o indivíduo, auxiliando a desbastar nossa pedra, sempre bruta, para superar nossos preconceitos e divisões.

Esses verdadeiros avatares da humanidade nos legaram o precioso ensinamento: “quem ama o faz não apenas com palavras, mas com atitude e reverencia silenciosa”.

Ninguém espera que sejamos santos, nem o esperou o apóstolo Paulo, tampouco Jesus. O ensinamento da caridade, assim como os demais ensinamentos cristãos (sem mencionar os ensinamentos virtuosos pregados em outras doutrinas religiosas) existem de forma a proporcionar ajuda para a auto-superação. Creio que o que era e é esperado de nós, enquanto seres religiosos, e principalmente enquanto maçons, seja o esforço constante em nossa auto-análise moral, de forma que, sempre que nos percebamos fora dos atributos da caridade, possamos erguer nossa cabeça e recomeçar o caminho, sem ansiedade ou desespero, porém, a passos firmes e corajosos.

Se, como indivíduos que vivem e praticam a caridade, conseguirmos possibilitar meios para que a sociedade construa uma vida mais democrática, justa e saudável para si, sem que um ser humano não necessite viver da caridade do outro, poderemos descansar.

Acredito plenamente que seja isso que o Grande Arquiteto do Univeso espera de nós.

Madre Teresa de Calcutá

Bibliografia:

Allan Kardec – O Evantelho segundo o Espiritismo.

Biblia Sagrada – Epístola de Paulo aos Corintios

Francisco Cândido Xavier – diversas psicografias

Papa Bento XVI – Enciclica Papal – Deus caritas est (24.12.05)

Grupo Espírita Apóstolo Paulo

Elizabeth Salgado – A caridade

Wikipédia, a enciclopédia livre – verbetes “caridade”, “virtudes” e “virtudes teologais”

Diversos sites na Internet

SERVIÇO DE CARIDADE – CHICO XAVIER PELO ESPÍRITO ANDRÉ LUIZ

SERVIÇO DE CARIDADE

Auxiliemos o companheiro de luta, quanto possível

Abstenhamo-nos de maldizer onde não possamos louvar

Distanciemo-nos das idéias de vingança, quando o mal nos visite o coração

Busquemos a conciliação fraterna, ajudando, ainda mesmo de longe, àqueles que nos ofendem

Desculpemos quantas vezes se fizerem necessárias, cada dia, exercitando-nos para o verdadeiro perdão

Esqueçamos os velhos caprichos de nosso eu que, muitas vezes, nos prendem a escuras ilusões

Aprendamos com a vida para sermos mais úteis

Multipliquemos as bênçãos do serviço no campo das nossas horas, como quem sabe que o tempo é também um empréstimo inestimável da Providência Divina

E, assim procedendo, estejamos certos de que praticaremos a caridade com o próximo e conosco, de vez que, corrigindo em nós aquilo que nos aborrece- nos outros, estaremos acompanhando Jesus em nosso esforço


Publicado em Curiosidade, Maçônico, opinião | Marcado com , , , , , | 14 Comentários

O Peregrino, John Bunyan – Resenha, Biografia, E-book e Link de Filme.

Bom(oa) dia/tarde/noite, a todos!

 Terminei recentemente de ler um livro chamado “O Peregrino” de autoria do Inglês John Bunyan. O livro é fantástico e vale a pena ser lido por todos com muita atenção. É uma das melhores alegorias que já depositei meus olhos. Outra – dizem se compara – é o Paraíso Perdido de John Milton, que ainda não li, mas espero fazê-lo em breve. O livro “O Peregrino” é o segundo livro mais publicado na história, ficando atrás somente da Biblia.

Por julgar ser algo que necessita ser compartilhado sem demora, decidi fazer o presente post somente com esse assunto. Para que o mesmo não fique só com minhas modestas impressões, busquei junto à Wikipédia, a enciclopédia livre, uma resenha do livro, uma pequena biografia do autor.

Mais abaixo, disponibilizo, o livro eletrônico para download e links para o filme, que como diz o folclórico apresentador televisivo Senor Abravanel, vulgo Silvio Santos, “eu não assisti, mas minha familia já viu e disse que é muuuiiito bom, muuuuito bom mesmo!”.

Espero que vocês se entretenham com a obra, tanto quanto eu.

Um triplo amplexo amistoso a todos e,

Inté de repente, pelo Caminho!

 

O Peregrino

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

   

Gravura de O Peregrino, publicada em 1778, mostra o peregrino adentrando o pequeno portão aberto por “Boa-vontade”.

O Peregrino – A Viagem do Cristão da Cidade da Destruição para a Jerusalém Celestial é um livro escrito por John Bunyan e publicado na Inglaterra em 1678. O livro é uma alegoria da vida cristã.

Bunyan relata, no prefácio e no posfácio, que escreveu O Peregrino como uma forma de alerta aos perigos e vicissitudes enfrentados na vida religiosa por aqueles que seguem os ensinamentos bíblicos e buscam um caminho de perfeição para alcançar a coroa da Vida Eterna, citada no livro do Apocalipse na Bíblia. O Peregrino tenciona levar o leitor a refletir sobre como deve ser vigilante na vida terrena, simbolizada pela jornada de Cristão.

Desde sua publicação, o livro jamais deixou de ser impresso. Depois da Bíblia, este é o livro mais conhecido no meio cristão não somente de fala inglesa, mas de diversas línguas, inclusive na China, onde o governo comunista chegou a produzir 200 mil cópias que foram distribuídas em três dias[1].

Esboço

O jovem peregrino chamado simplesmente Cristão, atormentado pelo desejo de se ver livre do fardo pesado que carrega nas costas, segue sua jornada por um caminho estreito, indicado por um homem chamado Evangelista, pelo qual se pode alcançar a Cidade Celestial. Na narrativa, todas as personagens e lugares que o peregrino depara levam nomes de estereótipos (como: Hipocrisia, Boa-Vontade, Sr. Intérprete, gigante Desespero, A Cidade da Destruição, O Castelo das Dúvidas, etc.) consoante os seus estilos, características e personalidades.

No ínterim, surgem-lhe várias adversidades, nas quais ele padece sofrimentos, chegando a perder-se, ser torturado e quase afogar-se. Apesar de tudo, o protagonista mantém-se sempre sóbrio, encontrando auxílio no companheiro de viagem Fiel, um concidadão seu. Mais adiante na trama, Fiel é executado pelos infiéis da Feira das Vaidades que se opőem à busca dos dois peregrinos. Contudo, Cristão acha um outro companheiro, chamado Esperançoso, que mais tarde lhe salvará a vida, e eles seguem a dura jornada até chegarem ao destino almejado.

A obra é uma alegoria contada como se fosse um sonho, voltando-se sempre a extrair dos eventos narrados alguns ensinamentos bíblicos de forma simbólica, nos moldes das parábolas bíblicas. John Bunyan também aí infere certos fatos históricos do seu tempo, como a perseguição aos protestantes, em especial aos da denominação do autor. 

O autor:

John Bunyan (28 de Novembro de 1628 – 31 de Agosto de 1688, Londres), escritor cristão e um pregador nascido em Harrowden, Elstow, Inglaterra, foi o autor de The Pilgrim’s Progress (O Peregrino), provavelmente a alegoria cristã mais conhecida em todos os tempos.

Biografia

 

Local do Nascimento de Bunyan

Bunyan teve pouca educação escolar. Ele seguiu o seu pai no comércio de Tarish Tinker, e serviu no exército parlamentário de Newport Pagnell (1644–1647); em 1649 ele casou-se com uma jovem mulher. Viveu em Elstow até 1655 (quando sua esposa morreu) e então se mudou para Bedford. Ele se casou de novo em 1659.

Em sua autobiografia, Grace Abounding (“Abundante Graça”), Bunyan descreve a si mesmo como tendo conduzido uma vida abandonada em sua juventude; mas não existe nenhuma evidência que ele era pior que seus vizinhos: o único defeito que ele especifica é a profanação, além da dança e persuasão. O surpreendente poder de sua imaginação o levou a contemplar atos de impiedade e profanação, e a uma vívida realização dos perigos por eles envolvidos. Em particular ele era atormentado por uma curiosidade concernindo o “pecado imperdoável,” e uma preposição que ele já o havia cometido. Ele continuamente ouvia vozes alertando-o a “vender Cristo,” e era torturado por temerosas visões. Depois de severos conflitos espirituais ele escapou desta condição e se tornou um entusiástico e assegurado devoto. Ele foi recebido na igreja Batista em Bedford por imersão no rio River Great Ouse em 1653. Em 1655 ele se tornou um diácono e começou a pregar, com marcante sucesso desde o início.

Bunyan discordava fortemente dos ensinos da Sociedade dos Amigos e tomou parte, durante os anos 1656-1657, em debates escritos com alguns de seus líderes. Primeiramente, Bunyan publicou “Some Gospel Truths Opened” (“Algumas Verdades do Evangelho Abertas”) na qual ele atacou crenças Quaker. O Quaker Edward Burrough respondeu com “The True Faith of the Gospel of Peace” (“A Verdadeira Fé do Evangelho da Paz”). Bunyan refutou o panfleto de Burrough com “A Vindication of Some Gospel Truths Opened” (“Uma Vindicação de Algumas Verdades do Evangelho Abertas”), respondida por Burrough com “Truth (the Strongest of All) Witnessed Forth” (“Verdade, A Mais Forte de Todas, Testemunhada Adiante”). Depois o líder Quaker George Fox entrou na rixa verbal publicando uma refutação à redação de Bunyan em sua obra “The Great Mystery of the Great Whore Unfolded” (“O Grande Mistério da Grande Prostituta Desvendado”).

Em 1658 Bunyan foi processado por pregar sem uma licença. Não Obstante, ele continuou a pregar e não sofreu um aprisionamento até Novembro de 1660, quando foi levado à cadeia municipal de Silver Street, Bedford. Ali ele ficou detido por três meses, mas, por se recusar a se conformar ou desistir de pregar, seu encarceramento foi estendido por um período de aproximadamente 12 anos (com exceção de algumas poucas semanas em 1666) até Janeiro de 1672, quando Carlos II emitiu a Declaração de Indulgência Religiosa.

 Túmulo de John Bunyan, Bunhill Fields, City Road, Londres. (Janeiro de 2006)

Naquele mês, Bunyan se tornou pastor da igreja de Bedford. Em Março de 1675, ele foi novamente aprisionado por pregar, desta vez no cárcere de Bedford, localizado na ponte de pedra sobre o rio Ouse, porque Carlos II havia anulado a Declaração de Indulgência Religiosa. (O mandado original, descoberto em 1887, foi publicado em fac-símile por Rush and Warwick, London). Após seis meses ele foi liberto e devido a sua popularidade, não mais foi molestado.

A caminho de Londres Bunyan foi acometido por um forte resfriado, e morreu de febre na casa de um amigo em Snow Hill no dia 13 de Agosto de 1688. Seu túmulo está localizado no cemitério de Bunhill Fields em Londres.

O Peregrino

Bunyan escreveu O Peregrino em duas partes, a primeira foi publicada em Londres em 1678 e a segunda em 1684. Ele havia iniciado a obra durante seu primeiro período de aprisionamento, e provavelmente terminou-a durante o segundo período do mesmo. A edição mais recente em que as duas partes foram combinadas em um único volume foi publicada em 1728. Uma terceira parte falsamente atribuída a Bunyan apareceu em 1693, e foi reimpressa em 1852. Seu nome completo é The Pilgrim’s Progress from This World to That Which Is To Come (“O Progresso do Peregrino deste Mundo Àquele que está por Vir”).

O Peregrino é considerado uma das mais conhecidas alegorias já escritas, e tem sido amplamente traduzido em diversas línguas. Missionários Protestantes geralmente o traduziam em primeiro lugar depois da Bíblia.

Outras duas obras de Bunyan são menos conhecidas: The Life and Death of Mr. Badman (“A Vida e Morte do Senhor “homem mau”, 1680), uma biografia imaginária, e The Holy War (“A Guerra Santa”, 1682), uma alegoria. Um terceiro livro que revela a vida interior de Bunyan e sua preparação para seu designado trabalho é Grace Abounding to the chief of sinners (“Abundante Graça para o chefe dos pecadores”, 1666). É uma obra muito prolixa e, uma vez que sendo a respeito da própria pessoa de Bunyan, poderia dar o parecer de ser intoleravelmente egocêntrica, exceto que sua motivação ao escrever tal obra foi somente com o intuito de exaltar o conceito Cristão sobre a graça e confortar aqueles passando por experiências similares à sua.

As obras mencionadas acima têm sido publicadas em diversas edições, e estão acessíveis a todos. Existem notáveis coleções de edições de O Peregrino, e.g., no Museu Britânico e na Biblioteca Pública de Nova York, agrupados por James Lennox.

Bunyan se tornou um popular pregador e um prolífico autor, apesar da maioria de seus trabalhos consistir em sermões. Em teologia, ele era um Puritano, mas não havia nada de obscuro a seu respeito. O retrato desenhado por seu amigo Robert White tem sido reproduzido diversas vezes e mostra a atraente natureza de seu verdadeiro caráter. Ele era alto, tinha cabelos ruivos, um nariz proeminente, uma boca bastante grande e olhos brilhantes.

Bunyan não era uma pessoa estudada, mas conhecia a Bíblia em inglês muito bem. Ele também foi influenciado pela obra Commentary on the Epistle to the Galatians (“Comentário na Epístola aos Gálatas”) de Martinho Lutero, na tradução de 1575.

Algum tempo antes de sua libertação final da prisão, Bunyan se envolveu em uma discussão com Kiffin, Danvers, Deune, Paul, e outros. Em 1673 ele publicou Differences in Judgement about Water-Baptism no Bar to Communion (“Diferenças no Julgamento sobre Batismo nas Águas não são Barreiras para a Comunhão”), onde ele sustentou a idéia de que “A igreja de Cristo não tem o direito de excluir da comunhão o Cristão que é um santo visível neste mundo, o Cristão que anda segundo sua própria luz com Deus.” Apesar de reconhecer que o “Batismo nas Águas é uma ordenança de Deus,” ele se recusava a fazer disso “um ídolo,” assim como ele pensava que faziam aqueles que usavam disto como um preceito para excluir da comunhão os que eram reconhecidos como Cristãos genuínos.

Kiffin e Paul publicaram uma resposta em Serious Reflections (“Sérias Reflexões”, Londres, 1673), aonde eles discutiram em favor à restrição da Ceia do Senhor aos devotos batizados, e receberam a aprovação de Henry Danvers em sua obra Treatise of Baptism (“Tratado de Batismo”, Londres, 1673 ou 1674). Como resultado da controvérsia os Batistas Exigentes (Calvinistas) deixaram aberta a questão da comunhão com os não-batizados. A igreja de Bunyan admitiu pedobatismo aos membros e finalmente se tornou pedobatista (Congregacionista).

Bunyan se distingue por ter escrito O Peregrino, provavelmente o livro mais lido do idioma inglês e o traduzido em mais línguas que qualquer outro livro exceto a Bíblia. O encanto da obra é atribuída ao interesse de uma história onde a intensa imaginação do escritor cria personagens, incidentes, e cenas vivas na mente de seus leitores como coisas conhecidas e relembradas por eles mesmos, em seus toques de ternura e humor, em sua impressionante e comovente eloqüência, e em seu puro Inglês idiomático. Macaulay afirmou, “Todo leitor conhece o estreito e apertado caminho tão bem quanto ele conhece uma rodovia em que ele tem andado pra frete e pra trás cem vezes” e ele adiciona: “Na Inglaterra durante a última metade do século dezessete havia somente duas mentes capazes da faculdade imaginária em um grau tão elevado. Uma dessas mentes produziu o Paradise Lost (“Paraíso Perdido”), e a outra The Pilgrim’s Progress (“O Peregrino”). Bunyan escreveu cerca de 60 livros e folhetos, dos quais The Holy War (“A Guerra Santa”) é o segundo em popularidade, atrás de O Peregrino, enquanto Grace Abounding (“Abundante Graça”) é uma das biografias mais interessantes já escritas.

Livro

 

Para download do livro, cliquem aqui.

Quando surgir a nova tela, não cliquem no ícone “download file”, pois ele irá solicitar uma tarefa. Cliquem sobre o local onde está escrito download John Bunyan – O peregrino.zip e será aberta imediatamente a tela para download do arquivo. 

Link para o filme

  Baixar Filme O Peregrino Uma Jornada Para o Céu – DVDRip Dublado

Sinopse: O Peregrino, Uma jornada para o céu é uma adaptação moderna do conto clássico de John Bunyan.
Efeitos visuais incríveis, lindas locações e um elenco maravilhoso dão vida à estória que inspirou gerações por centena de anos. Siga Cristão e seus companheiros nesta grande joernada da Cidade da destruição para as portas do céu. Ao longo do caminho, os peregrinos encaram grandes e pequenos obstáculos feitos pelo o homem e criados por demônios. Além da história fascinante, a poderosa obra de Bunyan nos ensina sobre perigos e a esperança da vida cristã e sobre a triunfante glória que espera todos aqueles que seguem o Rei dos reis!

Hospedagem:Megaupload
Tamanho: 423 MB
Gênero: Aventura
Formato: DVDRip
Idioma: Português
Legenda: S/L
Duração: 1h 35min.
Lançamento: 2008

Para download clique a seguir  http://www.megaupload.com/?d=kjfl9g6y

Publicado em Curiosidade, DIFUSÃO DE CULTURA, e-book, Esotérico, esoterismo, Livros, Maçônico, maçom, RELIGIÃO | Marcado com , , , , , , , , , , , , , , , , | 3 Comentários